Notas


11 Jul 2018

Alô Alô Rússia

Alô Alô Rússia por Cacao Romanov
 
Privet, privet!
Com o coração e a alma na ponta das chuteiras, a Croácia viveu uma jornada épica e mandou a Inglaterra de volta a charneca que ela habita no universo do futebol. Foi futebol raiz como não se via faz muito tempo numa Copa do Mundo; entrega total dos jogadores adriáticos – não havia bola perdida, nem craque que não corresse como um louco. Nada que fizesse lembrar as ricas e extravagantes estrelas canarinhos.
 
Croácia: a paixão do futebol
Finalmente aconteceu o grande jogo da Copa da Rússia. Os jovens e elegantes ingleses, com o uniforme branco que lembra a armadura do rei Ricardo Coração de Leão, tinha como divisa o arrogante “tragam o futebol de volta para casa”. Talvez demore mais 52 anos. A Inglaterra, imatura, supertreinada pelo também, jovem Southgate, pareceu sempre presa a jogadas ensaiadas, bolas paradas, esquemas táticos imutáveis e pouca capacidade de improviso e, assim, sucumbiu ante uma Croácia exausta, criativa e heroica. Os croatas jogaram 3 prorrogações seguidas, nas oitavas, nas quartas e agora na semifinal, o que dá o equivalente a um jogo a mais que aquela que será sua última rival, a França. A Croácia joga futebol com vontade. Com muita raça, saíram atrás após um gol de falta do zagueiro Tripper nos primeiros minutos de jogo. Com maior posse de bola, com seus toques rápidos, ganhando todas as divididas, a Croácia foi buscar o resultado e na metade do segundo tempo Perisic se antecipou a defesa e fuzilou as redes do goleiro Pickford. Veio mais uma prorrogação no 1x1.
 
Croácia: incansável
Aí os croatas se superaram: os zagueiros se multiplicavam nos ataques ingleses, que eram bem pouco criativos; e os atacantes apareciam de todos os cantos nos avanços veloses. Nessa altura do jogo, os croatas pareciam mais jovens e menos cansados que os ingleses. Na verdade a bola rolava melhor nos pés dos criativos Modric, Rakitic, Vrsaliko e Perisic, o melhor jogador em campo e na cabeça de seu brilhante técnico Zlatko Dalic. Mandzukic foi um centroavante de verdade, daqueles que fazem gols e não são apenas brilhantes taticamente. Teve grande presença na área, ameaçou sempre o gol de Pickford e marcou o gol espetacular da classificação inédita dos bravos croatas.
 
Deus salva a Rainha, mas não salva o English Team
Os ingleses inventaram o futebol (e quase a metade das músicas boas que existem no mundo), mas não conseguem tratá-lo como ele merece. A melhor liga nacional do mundo é a inglesa, o campeonato é empolgante; dezenas de jogadores internacionais estão em suas principais equipes e em suas respectivas seleções nacionais. Mas o english team não evolui ao ponto de voltar a ser campeão do mundo. Harry Kane fez muitos gols contra o Panamá, mas não é o bastante para ser campeão mundial. O Sterling é a enceradeira dos Jetsons, roda, gira, rodopia em velocidade alucinante e ... nada. Sem meias criativos e abusando dos chutões em direção a área adversária a Inglaterra foi quase inofensiva – foram 7X1 em chutes ao gol. Para piorar, Tripper, autor do gol inglês, que falhou na marcação do segundo gol croata, se lesionou e a Inglaterra terminou a prorrogação com 10 homens. Ao fim, Croácia 2x1 Inglaterra.
 
Do svidaniya
Notícia extraordinária. A maldição do pé frio. Os ingleses vivem assombrados por histórias (ótimas) de fantasmas, assassinos em série, monstros horrendos e figuras sinistras. O maldito pé frio é um deles. Mick Jagger estava no estádio e postou num stories um incentivo aos compatriotas. Famoso pela falta de sorte que dá aos times pelos quais torce, mais uma vez a maldição se cumpriu: ele disse hello! e os ingleses disseram goodbye! Nas redes sociais, contudo, desde a semifinal entre França e Bélgica vem rolando um barraco básico entre os Galvão Bueno e os Jagger brasileiros. Começou com o Galvão perguntando pra quem Mick iria torcer (em alusão à incontestável reputação do astro) e a Luciana Gimenez, com quem Jagger teve um filho, Lucas, retrucando que quem dava má sorte era o narrador da Globo. O Lucas Jagger entrou na briga e também atacou Galvão. Luca Bueno defendeu o pai e trollou pesado o ídolo do rock: pé frio! Cravou.

 Fotos: Reprodução. Siga o insta @sitealoalobahia.